Na Boca do Bebê

10/04/2012

Respiração Bucal

Filed under: Sem categoria — by martahaddad @ 4:53 AM
Tags: ,

!Image

A criança que é respiradora bucal e dorme com a boa aberta, deve ser levada assim que possível a um otorrino, pra que se descubra a causa! O nariz, filtra o ar, fazendo com que o mesmo chegue aos pulmões na temperatura ideal, diminuindo o risco de doenças respiratórias. Quando o ar passa direto pela boca, pode ocasionar tosse seca, dor de garganta, olheiras, sonolência pela falta do sono tranquilo, até o aumento de cáries, entre outros! O palato (céu da boca) pode ficar atrésico (estreito), além da compensação patológica da coluna, pelo esforço feito, pra que seja compensada a respiração difícil!

Anúncios

24/08/2011

FLÚOR: ALIADO OU VILÃO!

Filed under: Sem categoria — by martahaddad @ 10:13 PM

O Flúor que é colocado na superfície dos dentes, é fundamental pro fortalecimento do esmalte, durante sua formação. O mesmo flúor, quando ingerido, entra por via sistêmica, no organismo, e pode causar uma doença chamada “fluorose”. A fluorose, deixa os dentes com manchas esbranquiçadas, em casos mais graves estas manchas são marrons e os dentes ficam mais fracos, podendo quebrar facilmente!
A pasta dental com flúor, só deve ser usada pela criança que tem o controle da deglutição!

27/05/2011

Filed under: Sem categoria — by martahaddad @ 11:36 AM

Nessa época do ano, a gripe está sempre nos assombrando!
Em casos de febre, ou quando há inflamação nas vias aéreas, é muito comum que os dentes fiquem sensíveis e a gengiva inflamada também! Esse desconforto vai embora junto com a gripe e aí, tudo voltará ao normal!
Para “tentar evitar”, lave as mãos o máximo de vezes possível e mantenha os ambientes ventilados! Boa sorte!

24/05/2011

Escovas duras, nem pensar!

Filed under: Sem categoria — by martahaddad @ 12:08 AM

Quem acha que quanto mais dura a escova, melhor escovado os dentes estarão engana-se!!!!! Usar cerdas duras ou esfregá-las com muita força, pode causar retração de gengiva e, consequentemente, sensibilidade nos dentes, que ficam com a raiz exposta. Prefira escovas com cerdas macias e escove os dentes suavemente!!!

Troca de dentes!

Filed under: Sem categoria — by martahaddad @ 12:05 AM

Crianças muitas vezes reclamam de dor de dente, só que quando olhamos, não encontramos nada além de um dente saudável!
O que ocorre, é que quando a raiz do “dentinho de leite” começa a ser reabsorvida pelo “dente permanente”, pode desencadear “sensibilidade” no local. O dente permanente, aos poucos vai emergindo, querendo ocupar seu futuro lugar. A reabsorção do dente decíduo continua até que sua raiz suma completamente, aí ele fica mole, cai e o novo dente surge!

13/05/2011

CÉLULA-TRONCO

Filed under: Sem categoria — by martahaddad @ 12:15 PM

A CÉLULA-TRONCO é um tipo de célula em seu estado inicial – sem forma nem função – e que dá origem a todas as outras células de nosso corpo. É exatamente a sua capacidade de diferenciação que faz essas células serem tão importantes. A polpa dos dentes decíduos é extremamente rica nesse tipo de célula.
As células da polpa dos dentes de leite é feita em cima de material descartado, por isso se torna bem mais fácil. Elas se comportam como as células-tronco extraídas da medula óssea e do cordão umbilical, mas com uma vantagem: são encontradas em maior número e são mais simples de serem retiradas. Uma criança – entre os 6 e os 12 anos de idade – perde uma “boca cheia” dessa fonte de células-tronco, que estariam indo para o lixo, para o telhado, ou para a fada dos dentes, ao invés de estarem sendo armazenadas.
O dente decíduo pode se tornar, uma fonte alternativa para a obtenção de células-tronco, mas seria preciso criar um banco para essas células, porque elas permanecem vivas por um curto período depois que os dentes caem.

01/05/2011

GENGIVITE EM CRIANÇAS COM DIABETES

Filed under: Sem categoria — by martahaddad @ 6:17 PM

A gengivite é uma inflamação na gengiva que pode causar desde problemas simples, como sangramentos leves em decorrência da placa dental, até casos mais graves, como a periodontite, que se não for tratada ocasionará a perda do dente. 

Muitos estudos sugerem que a criança que tem diabetes possui um risco maior de desenvolver doenças periodontais, por serem mais susceptíveis a adquirir infecções bacterianas e terem mais dificuldade em combatê-las. 

A gengiva durante essa inflamação é avermelhada, inchada e sangra com muita facilidade. Mesmo durante uma simples escovação, ela pode sangrar muito. Como toda infecção, a gengivite é um fator que eleva o açúcar do sangue e que pode causar complicações na criança diabética. Pesquisas mostram que este desequilíbrio pode alterar o controle glicêmico. 
A boca tem ligação com todo o organismo como uma rede, que tem comunicação direta através da corrente sanguínea. Assim, quando há uma infecção dentro dela, todo o corpo pode estar em risco. 

É muito importante que o odontopediatra saiba desde a primeira visita tudo sobre seu filho, se tem diabetes, doenças cardíacas ou vasculares e que mantenha contato com o pediatra que faz o acompanhamento. Essa integração é fundamental. As visitas para profilaxia e flúor devem ser regulares e num período de tempo curto, assim o risco de uma gengivite diminui bastante. 
A gengivite se for diagnosticada, tratada e controlada precocemente tem cura. A escovação feita com capricho, acompanhada do uso do fio dental, pode ajudar na manutenção do tratamento em casa. 

É sempre bom estar atento a todo e qualquer sintoma quando você estiver ajudando seu filho na hora da higiene. Muitas vezes, sangramento em excesso e gengivas inchadas podem ser sinal de alterações, que devem ser comunicadas não só ao dentista como também ao pediatra. 

Como prevenção quase sempre é a solução, mantenha o hábito de levar seu filho ao dentista sempre e lembre-se que os cuidados do dia a dia dependem muito do seu carinho e dedicação. 

26/04/2011

Quem Tem medo de Dentista??????

Filed under: Sem categoria — by martahaddad @ 12:23 PM

As mães sempre perguntam qual é a idade certa para levar seus filhos ao dentista. Eu respondo que não existe idade, pois o ideal é que haja acompanhamento desde a gravidez, não só para que a mãe seja orientada desde cedo, mas também para que ela tenha uma boca saudável para receber o bebê.

Nós adultos não temos boas recordações dos nossos tratamentos dentários. A maioria tem sempre alguma história meio trágica para contar, e isso normalmente acontece na presença dos filhos. Então eles ficam fantasiando o quão monstruoso seria este ser chamado “dentista”.
Eu mesma me lembro com pesar de tratamentos não muito ortodoxos aos quais fui submetida e o quanto a mão do meu dentista era grande. Além disso, ele enchia minha boca de algodão e eu não tinha nem ideia do que ia acontecer. Enfim, não há um só entre nós que não arraste até hoje certo desconforto ao ter de enfrentar o tal do “motorzinho”. Muitos adultos buscam odontopediatras na esperança de um pouco mais de paciência e carinho, e isso funciona bastante.

As coisas mudaram e hoje estamos mais voltados para a prevenção e, principalmente, para um relacionamento especial com as crianças. O odontopediatra deve criar vínculos, desmistificar todas aquelas “coisas estranhas” e fazer com que a criança sinta-se confortável quando visitar o consultório. Ela tem de ter confiança e afinidade, achar até divertido e ter a liberdade de saciar toda a curiosidade que envolve o tratamento. Essa é a “mágica” que o profissional de hoje tem como meta no seu dia a dia.

Procuramos condicionar o paciente, isto é, fazer com que ele se acostume com todas as novidades e com os procedimentos mais comuns, como profilaxia (limpeza), flúor. Quanto mais cedo seu bebê conhecer e se familiarizar com este universo, maior a chance de ele ter lembranças opostas às nossas. Não se espante se ele começar a lembrar você de levá-lo ao consultório. Isso é resultado de uma mudança de conceitos — e, felizmente, seus filhos têm total acesso a esse benefício.

Procure um bom profissional o quanto antes e vamos começar a mudar esta história. Lobo mau, só no livro do “Chapeuzinho”  

17/04/2011

FASE DO PATINHO FEIO

Filed under: Sem categoria — by martahaddad @ 8:22 PM

Chega uma hora em que nossos bebês começam a trocar os lindos dentinhos de leite por grandes dentes permanentes que muitas vezes nascem de uma maneira desengonçada.
Isto acontece por volta dos seis anos e alguns, além de muito grandes, nascem com muito espaço, tortos ou demoram uma vida para descerem. As mães ficam apavoradas sem saber se sairão realmente um dia ou ficarão “entalados” para sempre.

O que é mais engraçado é que as próprias crianças não se incomodam nem um pouco com isso, dando suas lindas gargalhadas banguelas como se tudo estivesse como antes, pelo contrário, estão orgulhosos da sua condição sentindo-se menos infantis por estarem numa nova fase. Olham-se no espelho e estão muito satisfeitos com sua aparência.

Quando percebem que algum dente está começando a amolecer, ficam horas empurrando-os de lá pra cá, mostrando para nós adultos como estão ficando molinhos, e nós, aflitíssimos, querendo que tudo acabe logo, tentamos sorrir para demonstrar ao menos um pouco de apoio moral….mas eles estão ali, curtindo este momento mágico que é só deles. O ar de vitória que exibem quando conseguem sozinhos arrancá-los é algo indescritível.

Alguns dão “Graças a Deus” que os dentes estão tortinhos, pois isto lhes garante a certeza de usar um dia “lindos aparelhos ortodônticos coloridos”, para desespero dos pais. Como as crianças são puras e felizes sempre, os adultos é que ficam presos a padrões de uma estética sem sentido, esquecendo que um dia todos passaram por isso.

Lógico que suas carinhas ficam diferentes, comparado àquela fase de primeira infância, mas mudanças são ricas em todos os aspectos. É muito comum uma criança reclamar no consultório que seu amigo trocou algum dente e o seu ainda está lá, isto sim significa um problema para ele, seu desejo é exibir “banguela” na escola como todo mundo.

Lembro-me até hoje quando minha filha perdeu seu primeiro dentinho, um incisivo inferior, foi tão marcante que fizemos uma festa pra comemorar. Teve a história da fada dos dentes e tudo que tinha direito, assim como deve ser.

Mas tenho que confessar que rezei para que os incisivos superiores aguentassem mais uns dias, queria que na foto do aniversário de seis anos ela estivesse com a mesma carinha de antes. É claro que os dois caíram e no dia da festa, ao lado do ursinho “Pooh”, lá estava ela sorrindo radiante, mostrando sua banguelinha, e hoje quando olho o álbum sinto saudade deste momento, daquele sorriso diferente, que hoje mudou tanto. Estou relatando este fato com muita culpa, mas ao mesmo tempo para dizer que fui tola também e nós pais, lá no fundo, temos certa resistência em aceitar que nossos bebês cresçam, mudem, transformem-se em “pessoinhas” independentes, que possuem vontades próprias, contestadoras e um dia saem e voam sozinhos.

Desejo a todos os pais que estão passando por este momento com seus filhos que curtam muito, demonstrem o quanto é importante e bacana estarem ali ao lado deles, “finjam” que estão achando lindo aquele dente “pendurado”, que muitas vezes ficam aí durante dias, numa agonia que deve ser curtida, festejada, pois é uma fase da vida muito especial. Leiam histórias sobre a fada dos dentes, coloquem moedas embaixo dos travesseiros ou joguem em cima do telhado como faziam antigamente, façam qualquer coisa, mas façam.

Os anos passam e cada fase da criança é única, não se repete, ficando apenas na foto um lindo sorriso repleto de “inocentes janelinhas”, um tempo que não volta mais!

15/04/2011

Cárie de Mamadeira

Filed under: Sem categoria — by martahaddad @ 1:15 PM

A “cárie de mamadeira” é mais comum do que se imagina. O hábito das mamadas noturnas, sem que haja higienização depois, faz com que as bactérias aproveitam e se proliferem! Isso porque durante a noite, a frequência das deglutições diminuem assim como o fluxo salivar, responsável por banhar e proteger os dentes das bactérias. A associação desses elementos mais o tempo longo em que a criança permanece dormindo, são suficientes para o enfraquecimento das superfícies dos dentes.

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.